segunda-feira, 15 de julho de 2013

Quem procura...Matemática acha!





Hoje vou mostrar um pouquinho da exposição Quem procura... Matemática acha! Finalizamos o semestre e as crianças já compreenderam que há Matemática em todos os lugares. Se fizermos uma boa leitura, com visão de detetives, vamos logo encontrar. Para costurar tudo o que havíamos estudado no bimestre, fizemos essa exposição para os pais dos alunos.


Já havia comentado em outro post sobre a canastrinha da Emília. A questão era relacionar alguns objetos usados no cotidiano com a Matemática e principalmente perceber a Matemática em si mesmo. Quando vi o trabalho da Kelly, professora do meu filho, sobre a Zilda Arns, achei o máximo e vi logo que isso era uma oportunidade de levar um bom exemplo de ser humano para as crianças... Humanizar a “coisa toda”! E quanta Matemática tem na vida e no trabalho de Zilda. E pra melhorar... tinha total relação com o que eu estava tentando propor para meu grupo. E, por tudo isso, dedico esse trabalho a Kelly.








Começamos lendo a carta da Emília que apresentava a Zilda Arns... Depois passamos a ler textos biográficos sobre a médica. Todo nós temos uma História! Então cada um pensou e pesquisou em casa sobre a sua própria história... Fatos importantes ocorridos em sua vida, ano a ano, pois as crianças precisavam compreender também a passagem de doze meses para completar um ano. Assim, escreviam e desenhavam um fato interessante quando tinham 1 ano, depois 2 anos... até os dias de hoje. Isso tudo foi registrado como um filme.




Através do cartaz abaixo as crianças compreenderam uma série de conceitos. O principal deles foi compreender que a nossa idade é contada a partir do ano que nascemos. É lógico para nós adultos, mas complexo para as crianças entenderem. Era abstrato demais dizer que quem nasceu primeiro era mais velho!!! Eles se desenharam e se posicionaram na tabela. Dessa forma, foram contando os anos e constataram sua idade. Outra oportunidade surgiu, pois quem nasceu em 2006 e faz aniversário em dezembro, por exemplo, ainda tem seis anos, mas na tabela abaixo a contagem dá 7. Uma oportunidade para compreender novamente a passagem do tempo através dos meses. Quantos alunos nasceram em 2005? E em 2006? Um aluno fez o seguinte comentário: "Ah, se a maioria nasceu em 2006 é por isso que está na mesma classe, no primeiro ano!"


Zilda Arns é brasileira, nós também... Uma oportunidade para procurar Matemática em mapas e bandeiras. Retângulos, círculos e losangos....



Conhecemos o trabalho da Pastoral da Criança. Através desse trabalho as crianças aprenderam sobre o soro caseiro e a multimistura.




Qual o meu peso? E a minha altura? Qual o número do meu calçado? Esses números serão sempre os mesmos? O que preciso fazer para ser sempre saudável?  Oportunidade para usar a fita métrica e a balança.


Através dos conhecimentos sobre a multimistura, pensamos como é importante a manutenção da nossa saúde através de uma boa alimentação.

Analisamos o cardápio semanal da merenda escolar e essa foi uma boa oportunidade para ler e escrever listas de alimentos, além de analisar questões ortográficas importantes para o grupo.


Cada um tem sua altura

Tamanho dos nossos calçados

Oportunidade para aprender a amarrar os cadarços
Todos os dados que iam sendo coletados e conhecidos foram sendo registrados numa tabela em sala de aula. As crianças compreenderam o conceito de linha e coluna, fundamental na busca de informações em tabelas desse tipo.


 Assim como no primeiro bimestre, retomamos o início do projeto, através da análise de uma tela de Kandinsky e fizemos uma reprodução da tela Farbstudie Quadrate. As crianças trabalharam duro, mas gostaram do resultado final. 


Essa tela também serviu de inspiração para a confecção de um móbile para a sala de aula.

Pintura de cds usados e fotos das crianças com a lupa

A professora Ana Lúcia Leite, de Educação Ambiental, também procurou Matemática na natureza. A ideia foi compreender que também fazemos parte da natureza e ir em busca de padrões. As crianças criaram mandalas com elementos da natureza.


A Casa de Leitura, através do trabalho de Lília e Bruna, investigaram a Matemática nas obras de arte de Vincent Van Gogh e criaram um livro sobre o pintor e sua obra. Esse livro também foi apresentado aos pais no dia da nossa culminância.


Alunos e seus familiares

A professora de dança, Micheline, apresentou uma coreografia com a música de um filme do 007. Eles adoraram participar. Que pode ser vista aqui: 



Espero que tenham gostado. No próximo bimestre continuaremos investigando... Agora procuraremos a Matemática em volta de nós! Até breve... 







13 comentários:

  1. Fantástico, Aninha!!!
    Você aceita uma criança meio crescida na sua turma? Vou aí!
    Beijão!
    Lica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lica,
      A sala tá cheia, mas a gente dá um jeitinho. Ainda mais para uma aluna aplicada como você!Traga Joaquim também que é fera na Matemática, principalmente depois dos cálculos no mercado. Fantástico!
      Beijos,
      Ana

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Essa linha do tempo das crianças tomando a parede toda é demais! Aliás, essa matemática arrodeando a sala toda tá show de bola!
    E o cuidado com tudo, nem se fala...
    Me lembrou da minha pró Raimunda, quando eu era do 2o ano. Adoro tesoura de picote até hoje por causa das coisinhas mimosas que ela preparava para a gente... me dá uma nostalgia enorme... Não é bom saber que, além do conhecimento, essas coisas vão ficar na memória afetiva dessas crianças?
    Um beijo,
    Lica

    ResponderExcluir
  4. Lica,
    Que bom que gostou. E o capricho pra mim, aliás, pra nós, é fundamental. As crianças aprendem isso também! Sabem o que vamos exigir e isso acaba se tornando uma prática deles. Não aceitam qualquer coisa, de qualquer jeito. As Raimundas estão espalhadas por aí e se multiplicam, né?
    Pois é... Essa linha do tempo, deu o que falar! Cada mãe teve que participar lembrando fatos para os filhos. Ficou linda mesmo. Usamos quase a parede toda para 26 crianças. Ao vivo tá mais bonito, dá pra ver os detalhes, os desenhos, as histórias de cada um... Bem bacana!
    Fico feliz por ter gostado! Que outras pessoas possam expor seus lindos trabalhos e saber que ficarão na lembrança das crianças. Me lembro de um ex-aluno que disse para outra professora: "Eu gostava de estudar com a professora Ana porque ela cozinhava com a gente!" É memória, lembrança boa que continua viva dentro de cada um. Isso é ser professor.

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Obrigada, Sibrande!
      A minha memória é viva e o meu coração sempre transborda de alegria quando lembro do Rui Barbosa e da família que sempre formamos.
      Beijos em todos.
      Ana

      Excluir
  6. Ao vivo com certeza está ainda mais bonito!
    Essa memória é tudo!
    Vemos o verdadeiro sentido da educação aí!
    Bjão,
    Lica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Lica! O que importa é o que fica! Se não ficar nada não valeu a pena ser vivido.
      Obrigada por fazer parte da minha memória e do meu presente.
      Beijos,
      Ana

      Excluir
  7. Parabéns, Ana! Seu trabalho é inspirador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ana Costa.
      Que bom que você gostou!
      Beijos,
      Ana

      Excluir
  8. Menina! Ameeeei tudo! Parabéns! Quero crescer quero ser uma professora como você, rs!

    ResponderExcluir
  9. Muito obrigada! Volte sempre!
    Um abraço,
    Ana

    ResponderExcluir